Jogos sociais viram negócios gigantescos

Por Rafael Kenski
Um dos mercados de videogames que mais cresce não está no Xbox ou no Playstation, mas sim no Facebook. São os jogos sociais, que usam os recursos das redes para fazer com que amigos colaborem ou compitam entre si. O lucro vem em grande parte de itens que podem ser comprados para melhorar a experiência do jogo – algo que pode parecer meio inútil, mas que gerou um mercado que chegará a 825 milhões de dólares neste ano. Além disso, o setor não deixa de trazer novidades. Abaixo, três exemplos de como eles estão dominando o mundo.
1 – Farmville se mistura a comidas de verdadeSe você está no Facebook, só tem duas opções: ou ser um dos 20 milhões de pessoas que viciaram no jogo Farmville, ou ser parte do resto dos usuários e reclamar da quantidade de posts relacionados a ele que aparecem na sua página inicial. Feito pela Zynga – a empresa líder em jogos sociais, com mais de 211 milhões de jogadores por mês – o Farmville convida as pessoas a criar sua própria fazenda. Além de vender bens virtuais para enriquecer o minifúndio dos jogadores, a Zynga começou a misturá-lo com a vida real. Em maio, uma marca de verduras e legumes incluiu um código em seus produtos que poderiam ser trocados por créditos no Farmville. Agora, uma marca de alimentos orgânicos, a Cascadian Farms, pretende colocar seus produtos dentro do jogo: você pode plantar alimentos com a grife dela na sua própria fazenda.Mais aqui.
2 – A aposta do Foursquare para crescer: ainda mais jogosSites de localização são uma das áreas mais novas e disputadas da internet – até o Google e o Facebook apostam neles. São, em resumo, serviços em que você informa aos seus amigos e contatos o lugar onde está. Eles podem servir para milhares de coisas – desde fazer uma lista dos lugares por onde você esteve até encontrar amigos que estejam por perto –, mas quase todas as empresas apostam em outro recurso para chamar usuários: jogos. Variam de acordo com o site, mas, em geral, quanto mais você registra lugares por onde passa, mais ganha medalhas, pontos e regalias. Com essa fórmula, o Foursquare se tornou um dos principais, hmm, players, do mercado. Agora, com a concorrência apertando, revelou que a nova estratégia é investir em ainda mais jogos. A idéia é usar a cidade como um tabuleiro de jogos, criando, por exemplo, histórias do tipo “Choose-your-own-adventure”, iguais àqueles livros em que você decidia o rumo da história. Tente imaginar: “Você encontrou um monstro na Av. Paulista. Se quiser correr, vá para a Rua Augusta. Se for lutar, siga para a Av. Consolação”. Mais aqui.
3 – A Disney entra no jogo
A Disney acabou de comprar a Playdom, a terceira mais popular empresa de jogos do Facebook, em uma negociação que pode chegar a 763 milhões de dólares. Ainda não se sabe muito bem os planos, mas tomara que envolva criar jogos sociais baseado nos personagens e filmes da marca.Mais aqui.

0 Comentário(s):

Postar um comentário

Gostou da matéria?
Que tal deixar um comentário aqui pra mim?
Você comenta bem rapidinho!