Antecipação das questões do Enem foi 'falha contingencial', diz Inep

Membros do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) defenderam, nesta segunda-feira (31), a anulação do Enem apenas para 639 alunos do Colégio Christus, de Fortaleza, que antecipou 14 questões usadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com a Justiça Federal no Ceará.

A defesa foi apresentada ao juiz federal Luís Praxedes Vieira nesta manhã. O juiz afirmou que a decisão sobre a anulação ou não do Enem deve ser anunciada na terça-feira (1º).

A presidente do Inep, Malvina Tuttman, saiu do local sem dar declarações. De acordo com o Ministério da Educação, ela falará à imprensa às 16h (horário de Brasília).

De acordo com a Justiça Federal, a diretora de Ensino Básico do Inep, Maria Tereza Barbosa, afirmou, durante a reunião, que houve uma "falha contingencial" e que não ocorreu uma falha grave. A Justiça Federal afirmou ainda que membros do Inep defenderam que alunos do Colégio Christus foram os únicos prejudicados e, por isso, a prova deve cancelada apenas para os 639 alunos matriculados no ensino pré-universitário da escola da capital cearense.

Ainda conforme a Justiça Federal, Maria Tereza Barbosa citou outras falhas do Enem que não comprometeram a execução do exame. O Inep também afirmou que não houve furto de pré-testes, cujas questões estavam no banco de dados da escola e foram antecipadas.


Depoimento do Ministério Público
O procurador da República Oscar Costa Filho, que entrou com a ação na Justiça pedindo a anulação total da prova, ou das 14 questões antecipadas pela escola do Ceará, não esteve presente no depoimento. Segundo a Justiça Federal, o depoimento do procurador não era obrigatório. Ele já havia defendido que a anulação parcial ou total em todo o Brasil são as únicas formas de manter a isonomia do Enem em território nacional.

Três estudantes de outras escolas também estiveram reunidos com o juiz federal Luís Praxedes nesta manhã e pediram a anulação do Enem. De acordo com os estudantes, os alunos do Christus serão beneficiados mesmo que tenham de repetir o exame, já que terão mais tempo para se preparar para as provas.

Ivone Espíndola, uma das estudantes que conversou com o juiz, avaliou como positivo o depoimento e afirmou ao G1 que está confiante da anulação da prova.

Do lado de fora da sede da Justiça Federal de Fortaleza, alunos de escolas particulares protestaram durante a audiência e pediram a anulação total do Enem 2011.

Fonte:
G1.com.br

0 Comentário(s):

Postar um comentário

Gostou da matéria?
Que tal deixar um comentário aqui pra mim?
Você comenta bem rapidinho!