Contra superbactéria, DF compra material hospitalar sem licitação

A secretária de Saúde do Distrito Federal (DF), Fabíola Aguiar, disse nesta quinta-feira que o material médico-hospitalar necessário para para conter o avanço da superbactéria KPC, em falta nos hospitais de Brasília, deve estar disponível na sexta-feira. Sem licitação, o governo do DF fez uma compra emergencial de cerca de 100 itens considerados essenciais.
"Dada a necessidade de intensificar as ações de combate ao KPC, fizemos uma lista com o que é mais essencial. Essa é a primeira vez que somos obrigados a fazer uma compra emergencial", disse a secretária. O governo do DF informou que o surto da bactéria fez com que os estoques de materiais descartáveis e de higiene acabassem nos hospitais. Por isso, o Ministério Público autorizou a compra sem licitação, a um custo de R$ 10 milhões.

A secretária estava concedendo uma entrevista coletiva para falar do assunto quando recebeu a decisão judicial que proibiu o Hospital Regional de Santa Maria, cidade-satélite a 25 km de Brasília, de interromper os serviços nas unidades de tratamento intensivo (UTI). O hospital tem uma gestão terceirizada, sob responsabilidade da Real Sociedade Espanhola de Beneficência. Nesta quinta-feira, a entidade passou a não aceitar novos pacientes graves. A UTI do hospital tem 70 leitos e abriga 12 pessoas contaminadas pela a superbactéria KPC.

A Real Sociedade Espanhola acusa o governo do DF de atrasar pagamentos e, com isso, prejudicar o atendimento dos pacientes, além de aumentar o risco de infecções hospitalares. De acordo com a decisão da juíza da 8ª Vara de Fazenda Pública do DF, Gislaine Carneiro Santos Reis, caso o hospital não obedeça a determinação estará sujeito a multa diária de R$ 100 mil. A secretária Fabíola Aguiar garantiu que não há atraso nos pagamentos.

Aumenta o número de mortes pela superbactéria

As autoridades de Brasília confirmaram nesta quinta-feira que subiu para 18 o número de pessoas mortas na capital federal desde o início do ano devido à superbactéria Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC), que tem grande resistência aos antibióticos por adquirir uma enzima. Assim, ela se tornou resistente até mesmo a um grupo mais potente de antibióticos contra infecções e pode se tornar insensível aos três únicos remédios que restaram para o seu tratamento.

0 Comentário(s):

Postar um comentário

Gostou da matéria?
Que tal deixar um comentário aqui pra mim?
Você comenta bem rapidinho!