Adolescentes suspeitos de agressão serão encaminhados à vara da infância e juventude

Os adolescentes suspeitos de terem agredido quatro rapazes na avenida Paulista, em São Paulo, na madrugada e início da manhã deste domingo, serão encaminhados à vara da Infância e Juventude. De acordo com o delegado José Matallo Neto, após ouvidos os adolescentes serão encaminhados para a vara da infância e o outro jovem, maior de idade, será encaminhado para um CDP (Centro de Detenção Provisória), mas não revelou qual.

Foram quatro as acusações de agressão. A primeira dela, contra um jovem de 18 anos, que sai do trabalho, por volta das 3h da madrugada. De acordo com o depoimento do jovem que foi agredido, ele chegou a perder a consciência devido às pancadas que recebeu e, quando acordou, seu celular, carteira e uma blusa que vestia, haviam sumido. Ele reconheceu os agressores quando foi registrar queixa, na delegacia e os jovens estavam detidos lá.

Por volta das 6h30 ocorreram as outras agressões, ainda na Avenida Paulista. Desta vez contra dois rapazes, um dos quais assumiu ser homossexual. Segundo os jovens, enquanto eram agredidos, ouviram os adolescente gritarem coisas como "suas bichas" e "vocês são namorados".
Em sequência os jovens teriam agredido ainda outro rapaz que saia de uma lanchonete com alguns amigos. Foi quando a polícia chegou ao local e apreendeu os cinco jovens. Com isso, segundo o delegado, eles serão indiciados por agressão e formação de quadrilha.

Na delegacia, os pais dos adolescentes estavam inconformados. A mãe de um deles disse que os meninos sempre saem para baladas no fim de semana e é a primeira vez que se metem em confusão. " Os meninos saíram para se divertir, para pegar as menininhas na balada, até porque eles ficam de segunda a sexta estudando. Eles sempre saem no final de semana e isso nunca aconteceu".

De acordo com o Orlando Machado Junior, advogado de um dos menores, os jovens tinham ido a uma festa na avenida. Ibirapuera, e quando saíram da festa, foram de ônibus até a Avenida Paulista. Na volta para casa foram abordados por uma das vítimas. "Houve um flerte por parte de uma das vítimas, começou uma discussão verbal que desencadeou a briga. Segundo o advogado, seu cliente também foi agredido.
O pai de um dos menores disse que, após toda esta confusão, o seu filho não vai mais sair para baladas pelo menos até completar 18 anos.

0 Comentário(s):

Postar um comentário

Gostou da matéria?
Que tal deixar um comentário aqui pra mim?
Você comenta bem rapidinho!