Quem foi Hermann von Helmholtz?

Célebre por sua lei da conservação de energia, Helmholtz é um dos nomes mais representativos da ciência do século XIX: sua contribuição se estendeu à fisiologia, à óptica, à matemática, à eletrodinâmica e à meteorologia.

Hermann Ludwig Ferdinand von Helmholtz nasceu em Potsdam, Alemanha, em 31 de agosto de 1821. Ingressou no Friedrich Wilhelm Medical Institute, de Berlim, onde se diplomou em medicina. Após a tese de doutorado, foi médico militar em Potsdam. Viveu em Berlim e em 1849 assumiu a direção da cadeira de fisiologia da Universidade de Königsberg. Nomeado em 1870 professor de física da Universidade de Berlim, assumiu a partir de 1888 o cargo de presidente da Physikalisch-Technikalische Reichsanstalt (Instituto Imperial de Física Técnica), que ocupou até a morte. Em 1894 passou a ensinar em Bonn e depois em Heidelberg e na Universidade de Berlim.

Em julho de 1847 Helmholtz leu, na sociedade de física de Berlim, a famosa monografia Über die Erhaltung der Kraft (Sobre a conservação da força), que se tornou clássica e o consagrou definitivamente. O princípio da conservação da energia, que demonstrou ser aplicável aos fenômenos elétricos e eletromagnéticos, bem como aos choques dos corpos inelásticos, foi apresentado com base em rigorosa formulação matemática.

Em 1850 Helmholtz inventou o oftalmoscópio, com que observou o processo de acomodação do olho humano na percepção de objetos a distâncias variadas do observador e em diferentes graus de iluminação. Expôs a doutrina da sensibilidade cromática, a partir da teoria do físico inglês Thomas Young, e determinou a existência de três cores fundamentais: vermelho, verde e violeta.

No campo da acústica, Helmholtz pesquisou minuciosamente os aspectos físicos da propagação do som e as características fisiológicas de sua percepção pelo ouvido humano. Fez ainda observações fundamentais sobre a harmonia. O aparelho que construiu, mais tarde conhecido como ressoador de Helmholtz -- o qual, quando excitado por um acorde musical, composto do fundamental e seus harmônicos, reforça exclusivamente um só desses harmônicos -- , permitiu-lhe estabelecer uma nova teoria da harmonia e estabelecer estreita correlação entre a fisiologia e a estética musical.

Seus estudos estenderam-se à meteorologia, à termodinâmica e à eletrodinâmica. Nesta última disciplina, determinou uma equação geral para os circuitos elétricos fechados e aplicou tal fórmula à propagação das perturbações elétricas e magnéticas através de corpos capazes de sofrer polarização dessa natureza. Abordou o fenômeno da eletrólise e escreveu, já em seus últimos anos, sobre o significado físico da lei do menor esforço. Foi Helmholtz quem sugeriu a Heinrich Hertz, na época seu aluno, o problema que deu a este o ensejo de descobrir a teoria das ondas eletromagnéticas.

Dotado de extraordinária capacidade didática, Helmholtz divulgou seus conhecimentos em obras como Handbuch der physiologischen Optik (1856-1867; Manual de óptica fisiológica), Die Lehre von den Tonempfindungen als physiologische Grundlage für die Theorie der Musik (1863; A doutrina da sensação do som como fundamento fisiológico da teoria musical), Vorträge und Reden (1844; Discursos e conferências) e Wissenschaftliche Abhandhungen (1882-1895; Tratados científicos). Empirista convicto, negava a doutrina das idéias inatas e sustentava que todo conhecimento se funda na experiência, adquirida ou transmitida hereditariamente. Helmholtz morreu em Charlottelburg, perto de Berlim, em 8 de setembro de 1894.

Foi o criador da teoria da Panspermia Cósmica.

 

0 Comentário(s):

Postar um comentário

Gostou da matéria?
Que tal deixar um comentário aqui pra mim?
Você comenta bem rapidinho!