Band mentiu sobre colete, diz sindicato; emissora nega

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro emitiu nota nesta segunda-feira em que afirma que o colete balístico utilizado pelo cinegrafista da TV Bandeirantes Gelson Domingos, morto após ser atingido por um tiro de fuzil na manhã de domingo durante ação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) na favela de Antares, era mais fraco que o informado pela emissora. Ouvida pelo Terra nesta noite, a Band reiterou que o colete era da categoria III-A, a mais resistente entre as de uso permitido no País.

Segundo o sindicato, que alega ter tido acesso ao colete, a categoria correspondente do produto é a II-A, a segunda mais fraca do mercado. "Esse tipo de indumentária protege contra tiros de armas como 9 mm, com potencial bem abaixo dos fuzis usados em confrontos no Rio de Janeiro", afirma a nota, acrescentando que o colete "apresenta sinais de desgaste. Algumas inscrições não podem ser lidas a olho nu, mas é possível verificar que a blindagem é 100% polietileno. A placa da parte da frente do colete, que foi perfurada, apresenta data de 2003". Conforme especificações na parte interna do colete, o equipamento vence em outubro de 2013.

O documento divulgado pelo sindicato conta com o depoimento do advogado da família do cinegrafista, que teria dito que vai procurar a emissora porque ela "mente quando informa que o colete era III-A". O defensor deve enviar nesta segunda-feira o colete para a Polícia Civil. O sindicato ainda diz que "jamais propôs um curso de treinamento ministrado pelo Bope", conforme afirma a emissora, mas sim pelo International News Safety Institute (Insi). A Band afirma que repórteres e cinegrafistas passaram por esse treinamento.

Coletes balísticos avaliados como III-A oferecem proteção contra disparos de uma .44 Magnum. Contatado pelo Terra, o Exército, que regula o comércio desses equipamentos no País, informou que "coletes à prova de balas de uso permitido ou restrito poderão ser adquiridos diretamente na indústria por órgãos públicos e privados, a critério da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC) mediante autorização prévia". De uso restrito, apenas coletes enquadrados nas categorias III e IV são capazes de proteger o usuário contra tiros de fuzil.

Gelson Domingos deixou três filhos e dois netos. O corpo foi sepultado nesta segunda-feira, por volta das 14h, no Memorial do Carmo.

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5459636-EI5030,00-Band+mentiu+sobre+colete+diz+sindicato+emissora+nega.html

0 Comentário(s):

Postar um comentário

Gostou da matéria?
Que tal deixar um comentário aqui pra mim?
Você comenta bem rapidinho!